Weby shortcut
Youtubeplay

EECBio Eixos Temáticos

Atualizado em 06/07/17 12:21.

As atividades de pesquisa do EECBio estão distribuídas entre os seguintes eixos temáticos:

 

  1. Padrões de diversidade em diferentes níveis de organização e escalas de tempo e espaço - A diversidade biológica engloba diferentes níveis da organização biológica, desde genes e espécies até ecossistemas e biomas. Isso gera a possibilidade de trabalhar de forma unificada, em termos teóricos e metodológicos, com unidades básicas de diversidade nesses níveis. Por exemplo, enquanto geneticistas usam alelos como unidade de estudo, ecólogos frequentemente usam espécies. Nesses níveis de organização, é possível investigar padrões de abundância e distribuição, estrutura e dinâmica temporal, riqueza e composição das unidades básicas, além dos mecanismos ecológicos e evolutivos que determinam esses padrões. Simultaneamente, é possível avaliar como fatores extrínsecos (e.g., impactos antrópicos) podem afetar os padrões e processos;

  2. Adaptação, evolução do nicho ecológico e mudanças climáticas - Os padrões de biodiversidade, ao contrário do que ocorre em muitos sistemas complexos físicos ou químicos, possuem um forte componente evolutivo. Isso cria a necessidade de uma integração entre as análises ecológicas e evolutivas a fim de compreender os padrões de diversidade e sobre como estes se acumulam ou são reconfigurados por mudanças no ambiente. De fato, pode-se imaginar o balanço entre processos atuais moldando diferentes padrões de diversidade, em função de adaptações Darwinianas em diferentes níveis da hierarquia, e as condições iniciais naquele tempo dadas pela história evolutiva do grupo de organismos. Nesse sentido, as ferramentas de genética e evolução molecular permitem reconstruir a história evolutiva dos grupos de organismos em diferentes escalas temporais e espaciais, em um contexto filogenético/filogeográfico. Esses padrões históricos espacialmente definidos servem como referência para avaliar efeitos locais e desvios das expectativas neutras, no tempo e no espaço, desencadeados por processos adaptativos.

  3. Planejamento em conservação e uso sustentável da biodiversidade - A perda de biodiversidade em diferentes escalas é um processo intensificado pelas atividades humanas que tem gerado preocupação global. Mudanças no uso da terra (especialmente perda de habitat), invasões biológicas e as mudanças climáticas de origem antrópica são atualmente os fatores de ameaça mais relevantes para a extinção de espécies e perda de serviços ecossistêmicos. Ainda assim, uma grande preocupação está relacionada ao fato das consequências futuras da mudança climática global sobre a biodiversidade não serem totalmente conhecidas, apesar de serem reconhecidamente negativas para a biodiversidade como um todo. Como respostas às mudanças no uso da terra, invasões e componentes do clima, as espécies podem apresentar diferentes respostas: podem migrar ou haver deslocamentos de suas distribuições para locais com condições mais adequadas, podem ocorrer adaptações às novas condições, ou ainda, podem ocorrer extinções. A partir do conhecimento sobre todos esses processos seria possível entender, quantificar, mapear e prever o risco de exposição das espécies às mudanças de uso da terra e climáticas, e assim propor estratégias ótimas para o planejamento em conservação. 

Esses eixos foram delineados combinando diferentes áreas e linhas de pesquisa a fim de avaliar padrões e processos ecológicos e evolutivos atuando em diferentes escalas espaciais, e ao mesmo tempo entender melhor como essa abordagem integrada pode contribuir para a conservação da biodiversidade. Em termos práticos, foram definidos 8 grupos de trabalho (GTs) para desenvolver atividades de pesquisa, ensino e extensão nesses eixos.