Weby shortcut
Youtubeplay

Oficinas de Pesquisa ("Workshops")

Atualizado em 12/11/18 09:29.

 

1. Boas práticas em Modelagem de Distribuição de Espécies

Data: 12 e 13 de novembro de 2017

Organização: Paulo De Marco Jr (UFG)

Descrição: O EECBio sediou um workshop para discutir avanços metodológicos e estabelecer "boas práticas" para modelar distribuição de espécies, um tópico importante com diversas aplicações na área de biodiversidade. O workshop foi organizado pelo Prof. Paulo de Marco Jr (UFG) e contou com a participação de pesquisadores do ICMBio e alunos de Pós-Graduação. Os membros do EECBio que participaram do workshop foram os Profs. Paulo De Marco Jr e Matheus de Souza Lima-Ribeiro (UFG), Daniel de Paiva Silva (IF Goiano) e Marinez Siqueira (JBRJ).

Neste encontro foram discutidas questões sobre os principais métodos envolvidos no processo de modelagem de distribuição de espécies e nicho ecológico Grinnelliano. Os participantes abordaram questões acerca dos temas de 1) tamanho de áreas de estudo, 2) resolução espacial de células utilizadas no processo de modelagem, 3) seleção de pseudo-ausências, 4) os principais bancos de dados de ocorrência de espécies e variáveis preditoras (climáticas, topográficas, aquáticas, passadas, futuras), 5) vícios amostrais e seus efeitos sobre os modelos, 6) algoritmos de modelagem, 7) limiares de corte, 8) avaliação dos modelos produzidos, 9) pós-processamento dos modelos, 10) mapas de incerteza e 11) técnicas de ensemble dos modelos produzidos.

O objetivo principal do Workshop foi reunir alguns dos pesquisadores atualmente envolvidos com a produção de modelos de distribuição/nicho ecológico no país, com a finalidade de elaborar um “mapeamento” das principais técnicas atualmente consideradas nos estudos envolvendo o tópico. A partir deste mapeamento pretende-se compilar uma publicação de revisão envolvendo estes principais métodos, de maneira a auxiliar os pesquisadores que trabalham na área ou que futuramente se envolvam com tais métodos para melhor direcioná-los sobre quais práticas são mais adequadas para qual tipo de objetivo a ser alcançado.

Workshop-ENM-nov2017-01

 

 

 

2. Resgate Evolutivo

Data: 28 a 30 de janeiro de 2018

Organização: José Alexandre Felizola Diniz Filho (UFG)

Descrição: o EECBio promoveu uma oficina de pesquisa sobre “Resgate Evolutivo” e suas implicações para a conservação da biodiversidade. A oficina foi organizada pelo Prof. José Alexandre Diniz-Filho, envolvendo pesquisadores dos Grupos de Trabalho (GTs) em “Macroecologia & Macroevolução”, “Modelagem de Nicho e Mudança Climática” e “Planejamento em Conservação e Serviços Ecossistêmicos” do EECBio, além de pós-doutorandos, bolsistas DTI do projeto e alunos de graduação e pós-graduação associados aos pesquisadores do grupo. Participaram do evento os pesquisadores do EECBio José Alexandre Felizola Diniz-Filho (UFG), Luis Mauricio Bini (UFG), Rafael Loyola (UFG), Natan Maciel (UFG), Levi Carina Terribile (UFG), Matheus Lima-Ribeiro (UFG), Thiago Rangel, Maria Lucia Lorini (UNIRIO), Ricardo Dobrovolski (UFBA), Sidney Gouveia (UFS), Iberê Machado (Instituto Boitatá), além dos bolsistas DTI do EECBio, Fabricio Rodrigues (UFG), Kelly Souza (UFG), Roniel Freitas (UFG) e Tainá Rocha (UFRJ) e os alunos de pós-graduação e graduação Igor Bione, Ana Carolina Freire e Stephany Borges, da UFG. A oficina foi realizada em parceria com o Projeto PROMOB/FAPESE, para integração entre os programas de Pós-Graduação em Ecologia da UFS, UFG e UFMG.

O conceito geral de “resgate evolutivo” refere-se à possibilidade de adaptação Darwiniana rápida de populações sob forte efeito de estresse ambiental. Mais especificamente nessa oficina foram discutidos: 1) o conceito de resgate evolutivo e os modelos teóricos em genética evolutiva que têm sido utilizados para estudar esse processo, e; 2) a integração desses modelos teóricos com as técnicas de modelagem de nicho ecológico, em um contexto de mudança climáticas e alterações antrópicas da paisagem;3) suas implicações para conservação da diversidade diante dessas mudanças, em diferentes escalas espaciais. Foram implementadas análises para algumas espécies de anfíbios, como organismos-modelo, e discutidas as possibilidades de expandir essas análises para uma escala global, e definidos diversos subprojetos a serem realizados nos próximos anos neste tema.

workshop evol-rescue 

 

 

3. Novas abordagens para entender a evolução rápida de caracteres das espécies: de ilhas a fragmentos

Data: 01 a 03 de agosto de 2018

Organização: Ana Margarida Coelho dos Santos (Universidad de Alcalá, Madri, Espanha) e José Alexandre Felizola Diniz Filho (UFG)

O EECBio promoveu um workshop onde se discutiram os processos que levam à evolucão de caracteres das espécies de ilhas. Participaram um total de 16 pesquisadores, maioritariamente do EECBio: Ricardo Dobrovolski (UFBA), Joaquín Hortal (Museo Nacional de Ciencias Naturales, CSIC, Madri, Espanha), Márcio Pie (UFPR), Thiago F. Rangel (UFG), Rosane Tidon (UnB), os posdocs do EECBio Lucas Jardim (UFG) e Fabricio Rodrigues (UFG) e os alunos de pós graduação Alice Andrade (UFG), Elisa Barreto (UFG), Wanderson Santos (UFG), Rejane Santos da Silva (UFBA) e Kelly Souza (UFG). Participaram também o Prof. Richard Ladle (UFAL) e a PNPD Geiziane Tessarolo (UEG). O EECBio é consciente da necessidade de fomentar a igualdade de género na ciência e na sociedade em geral, sendo por isso relevante destacar o sucesso que este workshop teve nesse sentido, sem diminuir o nível da discussão científica. O workshop foi apoiado também pelo projeto PVE do CNPq do Prof. Joaquin Hortal e por recursos da Universidad de Alcalá.

As ilhas são frequentemente vistas como “laboratórios naturais” para o estudo de processos ecológicos e evolutivos. De fato, muito do entendimento dos processos ecológicos e evolutivos que moldam os padrões de diversidade vem de estudos desenvolvidos em ilhas. Partindo de ilhas oceânicas como o sistema de base, neste workshop se discutiram os processos principais que levam à evolução de traços, sintetizando-se e identificando-se as lacunas no conhecimento atual. Para além disso, se analisou também como todo o conhecimento acumulado para ilhas oceânicas pode ser transladado para outros tipos de ilhas e até para fragmentos de habitats. Finalmente, se discutiram quais as aproximações analíticas e empíricas que permitem estudar estas questões. A partir das parcerias estabelecidas neste workshop vai ser possível desenvolver um trabalho de revisão e publicá-lo em uma revista de bom impacto nesta área de pesquisa. Este workshop serviu também como o ponto de partida para o estabelecimento do estudo da biogeografia e biologia de ilhas no Brasil, uma área de pesquisa até agora pouco estabelecida no nosso pais.

workshop ilhas 01 

 

 

1. Macroecologia Humana

Data: 29 a 31 de outubro de 2018

Organização: Ricardo Dobrovolski (UFBA)

Descrição: O Grupo de Trabalho em Macroecologia e Macroevolução do EECBio promoveu um workshop sobre a aplicação de abordagens macroecológicas ao entendimento dos processos associados à espécie humana. Participaram um total de 16 pesquisadores, maioritariamente do EECBio: Maria Lucia Lorini (UNIRIO), Franco Souza (UFMS), Guilherme Oliveira (UFRB), Bruno Vilela (UFBA), Pablo Martinez (UFS), José Alexandre F. Diniz Filho (UFG), Thiago F. Rangel (UFG), Rafael Loyola (UFG), Mário Almeida Neto (UnB), os bolsistas DTI do EECBio Fabricio Rodrigues (UFG) e Rejane Santos da Silva (UFBA), além dos alunos de pós-graduação Kelly Souza (UFG), Hauanny Rodrigues (UFG) e Christielly Borges (UFG).Participou também o pesquisador Marcos Figueiredo (PNPD/UNIRIO).

A espécie humana é apenas uma entre os milhões de espécies que se estimam compor a biodiversidade da Terra. No entanto, essa espécie tem um desproporcional impacto sobre os processos ecológicos da Terra. Por outro lado, ela também é objeto de restrições ecológicas gerais, como o efeito da biodiversidade e de aspectos abióticos, além de sua própria organização socioeconômica. Nesse workshop, realizamos uma revisão das abordagens mais recentes para o entendimento dos processos ecológicos dos quais a espécie humana participa e pelos quais é influenciada. Entre as abordagens discutidas estão a revisão sistemática da literatura, os modelos de simulação e o uso de modelos de equações estruturais que buscam compreender relações causais complexas. Estudos empíricos e perspectivas sobre a área de estudo foram planejados durante o encontro. Essa oficina workshop buscou também sistematizar o conjunto de esforços em Macroecologia Humana que vêm sendo realizados pelos pesquisadores do grupo, a fim de fortalecer um programa de pesquisa na área a ser desenvolvido no Brasil.

macro_hum01